Olá! seja bem-vindo!  

Todos que acessarem. Este site é recém criado para informar sobre acontecimentos e curiosidades da nossa Cidade....

Nosso objetivo é mantê-los informados de tudo que acontece ao redor do nosso município...

        

   
 
 

Create your own banner at mybannermaker.com!

Seja Nosso Parceiro !

...

Atenção! Ateção! Atenção!

Vamos combater o mosquito pois

é o melhor método de prevenir a dengue

 

Proteja sua família contra esse mal.

É muito simples: não deixe sacolas, garrafas e ou qualquer

tipo de recipiente que possa acumular água;

tampe bem sua caixa d´água, ponhe areia nos vasos de plantas,e.t.c...

Viu é muito simples! bom, você escolhe entre simples e complicado

já refletiu sobre esse assunto?

Então não perca tempo, faça sua parte... 

 

 

"CURVELÂNDIA"

População 2010 4.866
Área da unidade territorial (Km²) 359,762
Densidade demográfica (hab/Km²) 13,53

fonte IBGE/CENSO2010

CARACTERÍSTICAS FISÍCAS

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA E COORDENADAS

Geograficamente, Curvelândia, esta situada na região Centro Oeste do Brasil e localiza-se na microrregião homogênea do Pantanal à Sudoeste Mato-grossense sendo as coordenadas geográficas de 15° e 30” à 10° do sul, abaixo da linha do equador e na longitude de 57° 30”a 58° 00” Oeste de Greenwinch.

 

VEGETAÇÃO

A cobertura vegetal é constituída de arbórea densa região de savana (serrado) floresta estacional, contanto savana e semidecidual  submontanhosa que constitui um dos sub conjuntos da floresta ombrófila densa.

 

HIDROGRAFIA

Na sua hidrografia o Rio principal é o Cabaçal que é um dos afluentes do Rio Paraguai, e vários Córregos menores como Veredinha, Panorama, Lagoão, contando também com a existência de inúmeros lagos naturais acumulados pelas águas pluviais.

 


TOPOGRAFIA

No relevo é uma área plana com algumas elevações, ou seja, 50% levemente ondulada.

        

LIMITES GEOGRÁFICOS E DISTÂNCIAS 
O município limita-se com os seguintes municípios, ao Norte e Leste a 40 km Lambari D’Oeste, ao Oeste e Noroeste a 25 kmMirassol D’Oeste e ao Sul com Cáceres à 60Km. Dista-se da capital Cuiabá a 280 km

 

COMUNIDADES RURAIS
Curvelândia tem as seguintes comunidades rurais dentro dos seus limites: Santa Rita, Carretão, Santa Luzia, Novo Panorama, Agro Verde, Plaquelândia,Vila Cabaçal, Palmeirinha, Gleba Tupã e Saturnino.

 

CLIMA DA REGIÃO (PERÍODO DE CHUVA – INÍCIO E FIM)

O clima predominante desta região é tropical úmido, e temperatura média no verão é de 35° graus, e no inverno de 18° graus. Período de chuva é de outubro a março.

 

SOLO
Latossolo vermelho-amarelo distrófico.

 

ALTITUDE MÉDIA 

Em de 120 m. acima do nível do mar.

 

 

FUNDAÇÃO DO MUNICÍPIO

Com o aumento populacional e o abandono em que o distrito foi relegado pelos administradores de Cáceres, líderes e comunidade em geral resolveram pleitear a emancipação econômica e administrativa de Curvelândia.

Foram dezenas e dezenas de viagens à Cuiabá, capital do Estado de Mato Grosso tentando sensibilizar as autoridades e políticos a autorizarem o plebiscito para consultar os habitantes da concordância ou não do Distrito se Tornar Município.

Autorizado a realizar o plebiscito verificou-se que a grande maioria da população desejava a emancipação.

No dia 28 de janeiro de 1998 a LEI nº 6981 cria o município de Curvelândia, desmembrado dos Municípios de Cáceres, Mirassol D’Oeste e Lambari D’Oeste.

A Assembléia Legislativa do Estado de Mato Grosso, tendo em vista que o artigo 42 da Constituição Estadual aprova e o governador do Estado Sanciona a LEI que cria o município de Curvelândia, com sede na localidade de mesmo nome, desmembrando dos municípios de Cáceres, Mirassol D’Oeste e Lambari D’Oeste.

Desde o 1º de janeiro de 2001. O município de Curvelândia tem sua própria constituição, seu prefeito e vereadores legalmente constituídos e empossados.

O primeiro prefeito de Curvelândia eleito pela maioria absoluta dos votos dos curvelandenses é o Sr. ELIAS MENDES LEAL FILHO.

 

 

HISTÓRICO DO MUNICÍPIO

Precisar a exatidão das datas em que chegaram neste município os primeiros agricultores ou desbravadores de sertões é muito difícil. Tudo tem a ver com a formação de Cáceres que tem mais de dois séculos de história. Não se sabe exatamente como ocorreu a presença do homem não índio por estas planícies, mas pelos estudos realizados por historiadores, presume-se que alguns homens caboclos (nativos de Mato Grosso) desceram pelo rio Paraguai vindo dos garimpos diamantíferos de Alto Paraguai, Diamantino, Arenápolis e Barra do Bugres e ao encontrarem a foz do rio Cabaçal, subiram rio acima na esperança de encontrar o precioso metal, o que não aconteceu.

Poderia ser estes os primeiros sertanistas a pisarem este solo fértil com mata amazônica exuberante, intercalada por um cerrado de alto porte, se não houvesse também a hipótese de serem oriundos de Corumbá os desbravadores em busca do El Dourado, que subindo o lendário rio Paraguai não resistiram à atração em navegar as águas deste afluente hoje conhecido por Cabaçal, navegando semanas e semanas observando os encantos da natureza e o esplendor dos animais que habitavam este até então desconhecido sertão, isso teria ocorrido a mais de um século.

A primeira atividade comercial que se tem informação ocorrida neste município de Curvelândia, teria sido a Poáia (uma planta medicinal que utilizava a raiz como matéria prima) que era comercializada por Cacerenses que em enormes Batelões(canoa feita com um só tronco de árvore) que era movimentada por remos e Zinga (uma vara comprida resistente que era utilizada para empurrar a embarcação nos lugares de muita corredeira) subiam rio acima até onde hoje está localizada a comunidade do Cabaçal, na beira do rio do mesmo nome, para comprar dos poucos moradores nativos a Poáia. Na época não existia a estrada que hoje passa pelo centro de Curvelândia, por isso o meio de transporte da Poáia era o batelão com o qual rio abaixo levavam-se quatro dias para chegar a Cáceres e rio acima demorava até oito dias, dependendo da altura do rio e da força das naturezas.

Estes compradores de Poáia aproveitavam as embarcações para levar de Cáceres aos ribeirinhos os produtos alimentícios, roupas e calçados que eram trocados pela Poáia.

Pelo relato pode se observar que narrar com alguma precisão a história desde os primeiros habitantes é muito difícil, porque praticamente, não existem registros documentados que ofereçam subsídios para estudos mais aprofundados e precisos.

Na década de 70, o Governo do Estado de mato Grosso, concedeu alguns títulos na faixa de fronteira BRASIL/BOLÍVIA em terras da união, a alguns fazendeiros do Estado de São Paulo.

Como eles não residiam aqui, as terras ficaram abandonadas favorecendo a invasão.

A formação do povoado deu-se com a vinda da família Castrilon que montou acampamento nas terras do Fazendeiro Ramiro Ali Murad onde enfrentaram várias dificuldades devido à falta de água e estradas.

Mais tarde vieram outras famílias oriundas de varias partes do país, visando o futuro e acreditando no progresso. Derrubaram as matas, abriram estradas, construíram casas e comunidades, investiram na agricultura, implantaram comércios e desta forma a comunidade foi crescendo e sua população aumentando.

Existem registros de que os primeiros moradores foram às famílias de Diorande Francisco de Azevedo, José Roque, Família Natanael, Hermes Vicenssot, Argemiro Lopes, Paulo Antunes de Sá,  José Pedro, Família Frades, Elias Mendes Leal e João Ferreira de Souza.

Naquela época a pequena comunidade era conhecida por Lagoa dos patos (devido a grande quantidade destes animais que povoavam a pequena lagoa junto á comunidade), depois passou a chamar-se Curva do Boi, nome dado à comunidade devido a um acidente ocorrido na curva da estrada onde morreram vários bois, daí a origem Curva do Boi, que posteriormente quando transformado em distrito passou a denominação de Curvelândia.

Desde a criação da comunidade, a simplicidade das pessoas, a hospitalidade dos seus moradores e a enorme consideração e apreço que dedicavam a todo aquele que vinha morar na comunidade.

 

QUE BELEZA DE CIDADE!!

 

Pontos Turísticos

 

MONUMENTO NATURAL CAVERNA DO JABUTÍ

 

A Caverna do Jabuti localizada no município de Curvelândia, na Serra do Padre Inácio,

Província Espeleológica do Alto Paraguai, sob as coordenadas geográficas

15º33' 56" S e 57º 59' 17" W, com seus 3.860,51 m de galerias mapeadas

é até o momento de acordo com o IBAMA-CECAV-MT, a maior caverna do

estado de Mato Grosso.

Esta caverna apresenta amplos salões de fácil acesso no plano horizontal

e por possuir depósitos de origem química de uma extraordinária beleza cênica,

conhecida como espeleotemas, sendo as estalactites, estalagmites, cortinas,

represas de travertinos, flores de aragonita e outros, a Caverna do Jabuti apresenta

grande potencial para o turismo de contemplação.

Para proteção deste patrimônio espeleológico foi criado o

Monumento Natural da Caverna do Jabuti pelo

Decreto nº 25 de 19 de julho de 2007, possui uma área total de 250 há.

 

Lagoa Salobinha

      A lagoa salobinha é um afluente do rio Cabaçal e fica localizada

próxima a Vila Cabaçal, esta lagoa é apropriada para a prática de

flutuação com snorkel e mascara, apresenta águas cristalinas e

cardumes de peixes nobres da bacia do pantanal,

um verdadeiro santuário ecológico.

 

 

 

MONUMENTO EM HOMENAGEM AO PRODUTOR RURAL DO MUNICÍPIO DE CURVELÂNDIA

 

 

CAVALGADA É SÓ ALEGRIA.....

 

 

 

São algumas das obras realizadas na gestão do sr.º Elias Mendes Leal Filho.

RECONHECIMENO COMPROVADO 

.

.Parceiros
.
.
.
.

. Mega Documentários - Download de Documentários.



 

         visitantes on-line        
Map
 
 
MOVIMENTO PENTECOSTAL
UMA ABENÇOADA PROGRAMAÇÃO
QUE LEVA A PALAVRA DE DEUS AOS POVOS!
http://www.cpad.com.br/movimentopentecostal/
 
 
        RÁDIO ON-LINE         
       TEMPO DE AMAR         
 FILMES EVANGÉLICOS
       DESAPARECIDOS      
 

 

Novidades

**QUEIJO DE CURVELANDIA** Uma idéia que deu certo.

29/05/2012 08:27

 

De um protesto realizado na rodovia BR 070 por produtores rurais é que surgiu a Festa do Queijo, o motivo do protesto era a reivindicação por melhores preços no leite, segundo o Diretor Técnico do Laticínios Rovigo, Antonio Bornelli, houve na época uma queda expressiva no preço do leite, devido a entrada de produtos lácteos de outros países, comprometendo toda a cadeia produtiva, inclusive a industria de laticínios.

Após três edições da Festa do Queijo o Laticínios Rovigo abraçou a causa e a partir de 2007 o queijo gigante passou a ser fabricado na indústria do laticínio, tendo em vista a importância de garantir seguridade alimentar dentro dos padrões sanitários exigidos pelo S.I.F. (Serviço de Inspeção Federal).

O queijo fabricado pelo Laticínios Rovigo em parceria com artesãs rurais é do tipo minas frescal, e desde 2007 vem superando ano a ano seu próprio Record, em 2007 o queijo pesou 260 Kg, em 2008 pesou 690 kg, em 2009 pesou 750kg, em 2010 pesou 990 kg, em 2011 pesou 1.250 kg e em 2012 novamente superou o Record pesando 1.507 kg.

Para fabricação do queijo de 1.507 kg além de artesãos rurais de Curvelândia, o Laticínios Rovigo convidou 20 alunos da Escola de Laticínios do Instituto Federal de Rondônia e 20 alunos do curso de agroindústria do Instituto Federal de Cáceres, além dos colaboradores do laticínio na pessoa do queijeiro José Edinaldo e da técnica em laticínios Danuza Tavares, para esta empreitada foram envolvidas 73 pessoas. A fabricação começou as 09h da manhã e terminou as 14h, a Cooperativa LACBON também foi parceira na fabricação do queijo.

A Festa do Queijo acontece anualmente no mês de maio no município de Curvelândia, que dista a 311 km da capital Cuiabá, e que além deste evento grandioso, tem também a maior Caverna do Estado de Mato Grosso, a Caverna do Jabuti, com 4 km de desenvolvimento, sendo um dos atrativos turísticos mais belos para os que já visitaram.

O prefeito municipal Maury Souza da Silva, o secretário de turismo Valdeci Delmiro, a gerente de turismo Fabiana Bezerra e comissão organizadora, participaram juntamente com deputados estaduais Ezequiel Fonseca e Airton Português da degustação do maior queijo minas frescal do mundo, que foi distribuído para a população.

VLT OU BRT. NOVO MEIO DE TRANSPORTE PARA CUIABÁ

25/10/2011 12:45

 

 

VLT ou BRT.  novo meio de transporte de Cuiabá
Acima o VLT e abaixo o BRT. Fotos e diagramas: Rede EMBARQ
Acima o VLT e abaixo o BRT. Fotos e diagramas: Rede EMBARQ

Estamos já há alguns dias discutindo sobre o meio de transporte ideal para Cuiabá e Várzea Grande com vistas ao futuro e mesmo com pertinência à Copa de 2014. A Agecopa posicionou-se favorável ao BRT,  políticos de significativa força movem-se pelo VLT. E a população já sabe o que vem a ser ambos os meios de transportes? Aquilo que se discute intramuros vem ao grande público?

Creio que a população tem o indisponível direito de ser esclarecida, daí que tenho como pertinente abrir o que é um e o que é o outro meio de transporte. Ambos com vantagens e desvantagens vejamo-las:

Primeiro o VLT:

“Tentativa de definição de "light rail"

É muitas vezes complicado distinguir um sistema de light rail e um de carros-eléctricos (bonde). No caso dos elétricos, estes veículos circulam geralmente pelas ruas e partilham o espaço com o restante tráfego. Existem paragens frequentes e estas tendem a ser elementares (somente um poste ou, no máximo, um coberto). O light rail, pelo contrário, tende a circular em espaço autónomo, o que evita qualquer inteiração com outros veículos. As paragens são menos frequentes que no caso dos carros-eléctricos e aquelas podem ser simples plataformas ou até estações. Muitas redes de light rail combinam os dois sistemas, onde os veículos podem circular em espaços próprios e, noutros locais, também ter seções em ruas.

Vantagens do light rail

Os sistemas de light rail são geralmente mais baratos de construir que, por exemplo, os de metropolitano ou do tradicional trem suburbano ou comboio suburbano. Para além disso, aqueles têm maior flexibilidade em curvas apertadas.

Os carros elétricos tradicionais e os veículos de light rail são usados em várias cidades pelo mundo, pois estes permitem transportar um maior número de pessoas que qualquer autocarro. A somar a isto ainda outras vantagens: produzem menos poluição e barulho, em muitos casos mais rápidos e numa emergência são mais fáceis de evacuar do que outros meios de transporte do metropolitano. Muitas linhas modernas de light rail aproveitam antigas linhas de comboios. Exemplos disso mesmo verificam-se no Porto, Londres ou Birmingham.

Desvantagens do light rail

Uma das desvantagens deste sistema é ele não ser completamente independente do tráfego e isso pode ocasionar acidentes. E partilhando o espaço com restante tráfego faz com que a velocidade comercial seja mais baixa que, por exemplo a do metropolitano típico. Mas a exemplo do que se pode verificar no projeto do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) ou Light Rail da Região Metropolitana da Baixada Santista, pode-se segregar completamente o espaço destinado aos trens do espaço urbano.”.

Finalmente o BRT

BRT (Bus Rapid Transit) é um sistema de ônibus de alta capacidade que provê um serviço rápido, confortável, eficiente e de qualidade. Com a utilização de corredores exclusivos, o BRT simula o desempenho e outras características atrativas dos modernos sistemas de transporte urbano sobre trilhos, com uma fração do seu custo.

Apesar do BRT ter sua origem baseada em ônibus, tem pouco em comum com os sistemas tradicionais de ônibus. Na maioria dos BRT implantados com sucesso, as seguintes características estão presentes:

·                     corredores exclusivos ou preferência para a circulação do transporte coletivo;

·                     embarques e desembarques rápidos, através de plataformas elevadas no mesmo nível dos veículos;

·                     sistema de pré-pagamento de tarifa;

·                     veículos de alta capacidade, modernos e com tecnologias mais limpas;

·                     transferência entre rotas sem incidência de custo;

·                     integração modal em estações e terminais;

·                     programação e controle rigorosos da operação;

·                     sinalização e informação ao usuário.

Com mais de 160 sistemas operando atualmente ou em construção, os sistemas BRT têm se tornado a melhor escolha para melhorar a mobilidade urbana em 23 países dos cinco continentes. BRT é um conceito flexível, que pode ser configurado especialmente para o mercado a que serve e ao ambiente físico onde opera.

Desvantagem

“Os sistemas BRT têm demonstrado potencial para reduzir drasticamente as emissões de CO2 - um exemplo recente do seu impacto na mudança do clima foi o primeiro corredor do Metrobús (sistema BRT da Cidade do México), que está reduzindo 35.000 toneladas de CO2 por ano, ao mesmo tempo em que melhora a mobilidade de 77 milhões de passageiros. Este sistema BRT foi concebido e implementado para servir pelo menos 45 mil passageiros por hora grande desvantagem dos BRTs, o fato de ele ocupar um espaço antes reservado aos carros, é visto por especialistas como um mal necessário. “Só ficará parado quem optar pelo transporte individual”, avalia Marcos Bicalho, presidente da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos.

Isso não significa que as grandes metrópoles devam abandonar os projetos de construção de metrôs e trens de superfície, que continuam sendo mais ágeis e capazes de atender a demandas maiores. “Na mesma Avenida Antonio Carlos que receberá o BRT vamos construir uma linha de metrô. Só que ela pode demorar mais de oito anos para sair”, comenta Carvalho, na BRTrans. “Quando o metrô for inaugurado, podemos reduzir o número de ônibus no corredor e remanejá-los para outras áreas da cidade. Não haverá desperdício.”

Rodrigo Martins é repórter da revista CartaCapital há quatro anos. Trabalhou como editor assistente do portal UOL e já escreveu para as revistas Foco Economia e Negócios, Sustenta!,Ensino Superior e Revista da Cultura, entre outras publicações. Em 2008 foi um dos vencedores do Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos.”.

Penso que esses esclarecimentos podem trazer alguma luz aos que de fato se interessam pelo tema. O certo é que como sempre venho dizendo o tempo passa e o evento chegará com data certa.

Precisamos acelerar as discussões e as decisões. Nesse contexto a mudança sobre a forma de gestão na Agecopa é bem vinda, ainda que tardia.

 

 

A copa tá chegando

25/10/2011 12:23

 

 

 

 VEJA ALGUMAS DAS OBRAS QUE DEVEM SER FEITAS PARA RECEBER A COPA DE 2014 EM CUIABÁ
 

SERÁ QUE DÁ TEMPO DE FAZER TODAS ESSAS OBRAS?

Construção da Arena Pantanal
Finalidade: sediar jogos da fase de grupos da Copa do Mundo de 2014
Como está: fase de edificação com a instalação dos pilares pré-moldados. 

Status: A obra segue entre as 3 mais rápidas no ranking das arenas em construção
Prazo: dezembro de 2012

Reforma e ampliação do Aeroporto Marechal Rondon 
Finalidade: Transporte aéreo de passageiros

Como está: Instalação do MOP iniciada em 28/07/11
Projeto: Licitação da obra principal em setembro de 2011 (previsão)
Status: Obra de instalação do MOP prossegue a todo vapor

Prazo estimado para toda a obra principal: dezembro de 2013

VLT
O que é: Veículo Leve sobre Trilhos ligando CPA ao Aeroporto e Coxipó ao Centro de Cuiabá. Custo: R$ 1,1 bilhão; Financiamento: CEF
Finalidade: Transporte coletivo rápido de passageiros

Status: aguardando conclusão de projetos básico e executivo
Prazo estimado: dezembro de 2013

Trincheira do Santa Rosa
Localização: Trevo do bairro Santa Rosa, nas proximidades do Shoping Goiabeiras
Finalidade: desafogar trânsito na avenida Miguel Sutil

Status: em fase de licitação
Prazo: indefinido

Trincheira da Miguel Sutil/Jurumirim
Localização: próxima ao viaduto da Av. do CPA.
Finalidade: desafogar trânsito na rotatória da Av. Jurumirim

Status: em fase de licitação
Prazo: indefinido

Trincheira do Verdão
Localização: próxima ao quartel do Corpo de Bombeiros e futura Arena Pantanal
Finalidade: desafogar trânsito na avenida Miguel Sutil 
Veja mais 

Status: em fase de licitação
Prazo: indefinido
 

Ponte sobre o Rio Coxipó
Localização: Av. Fernando Correa

Finalidade: melhorar acesso no cruzamento da Beira Rio com a Fernando Correa
Status: em fase de licitação
Prazo: indefinido
Trincheira da Av. dos Trabalhadores
Localização: Av. Miguel Sutil no cruzamento com a João Gomes Sobrinho

Finalidade: melhorar acesso no cruzamento da Miguel Sutil com a Trabalhadores
Status: em fase de licitação
Prazo: indefinido
Rotatória do Aeroporto
Localização: Trevo do Zero Quilômetro, em Várzea Grande

Finalidade: melhorar acesso na avenida da FEB
 
Viaduto do Despraiado
Localização: Av. Miguel Sutil nas proximidades do Parque Mãe Bonifácia

Finalidade: melhorar acesso na avenida Miguel Sutil sobre a rotatória da 'Discórdia'

 

Rotatória do Tijucal
Localização: Av. Fernando Correa da Costa no Trevo de acesso ao Tijucal

Finalidade: desafogar o trânsito na entrada de Cuiabá
 

Complexo do Porto
O que é: Centro Turístico com fan park, shopping popular, museu e aquário

Finalidade: Acolher turistas e abrigar a fan fest em 2014 
 

Nova Ponte sobre a rodovia Mário Andreazza
O que é: Duplicação da ponte sobre o Rio Cuiabá na divisa entre Cuiabá e VG

Finalidade: Desafogar o trânsito na rodovia M. Andreazza na altura do Rio Cuiabá
 

Duplicação da Rodovia Mário Andreazza
O que é: via que liga a Miguel Sutil, em Cuiabá ao Trevo do lagarto (Várzea Grande)
Finalidade: servir de rota principal para quem entra em Cuiabá através de VG

 
Revitalização do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães
O que é: Projeto de inclusão de MT no cenário turístico internacional 

Finalidade: fomentar o turismo em Chapada e oferecer opções de lazer a turistas
 

 

 

Últimas Notícias

23/10/2011 22:04

Zoológico da UFMT abriga oito animais ameaçados de extinção, entre elas o Gavião Real. Essa Espécie já muito encontrada no Município de Curvelândia.

23/10/2011 02:57

 

No total, zoológico tem 800 animais de 79 espécies diferentes

Gavião real,

 

lobo guará 

 e

águia cinzenta

são três das oito espécies de animais silvestres em perigo de extinção que vivem no Zoológico da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), fundado em 23 de março de 1977, em Cuiabá. Ameaçados, esses bichos recebem atenção especial do experiente tratador de animais José Donizete de Souza (38), que integra uma equipe de apenas 12 pessoas (cinco tratadores, uma veterinária, um gerente e cinco biólogos) que cuidam dos 800 animais, de 79 espécies, que habitam os 11 hectares do parque, conforme a última estimativa do Zoológico.

 

O trabalho do tratador Souza não é fácil, mas ele sabe o quão destrutível é a ação do homem. "Existiram bichos que nós não chegamos a conhecer", lamentou. Atualmente em Mato Grosso, mais de 50 espécies de animais estão na lista de ameaçadas de extinção. A principal causa é a devastação do habitat natural, caça e pesca predatória. Além delas, há outras 11 espécies que são classificadas como vulneráveis a extinção, de acordo com pesquisa divulgada este ano pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A pesquisa apresenta 394 espécies e subespécies que podem desaparecer no Brasil. Em Cuiabá, alguns dos animais ameaçados podem ser vistos no zoológico.

O tratador também fica triste ao saber que os animais hoje moram no Zoo não poderão voltar a viver no Pantanal. Os bichos foram resgatados com caçadores ou pessoas sem informação que criam ilegalmente animais silvestres em casa. Souza diz que é no Zoológico que os animais encontram uma chance de sobreviver aos caçadores e ao próprio Pantanal. Um animal silvestre criado em casa, ele explica, não consegue voltar a viver livremente na natureza. "Por não saber caçar, no mato o bicho morre de fome ou é presa fácil para um outro animal", comentou. Há também o caso dos animais que já nascem diferentes e não conseguem viver na floresta. É o caso do jacaré albino, que não consegue sobreviver no habitat natural. "Por ser branco, a vegetação e água não o protegem e ele é facilmente capturado", disse Souza.

O Zoológico é o único do Brasil dentro de uma universidade pública a reproduzir em cativeiro o Albinóide jacaré ou Cayman jacaré, nome científico da espécie de jacaré albino encontrado no Pantanal de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e nos estados do Maranhão e Piauí. Os atuais jacarés são remanescentes de um antigo criadouro na região de Limpo Grande, munícipio de Várzea Grande-MT. 

Funcionários - De acordo com o coordenador do Zoológico, Luiz Carlos de Sá Neves, o número de funcionários é insuficiente para cuidar de todos os animais. O ideal seria no mínimo 15 empregados. Com 23 anos de experiência, Neves confessa que a sobrecarga de trabalho da equipe é grande. "A equipe está reduzida. Tem um tratador com uma grave doença e um funcionário com idade avançada, a menos de dois anos da aposentadoria", disse Neves. Então, atualmente, cada tratador - são seis em serviço - cuida de ao menos 114 animais. 

Visitantes - Por mês, de 7 a 8 mil pessoas passam pelo Zoológico. A maioria são crianças. Neves acha muito importante a iniciativa dos pais e professores que trazem crianças até o Zoológico, porque muitos deles não sabem nem ao menos quais os bichos que compõem a fauna do Pantanal e do Cerrado. Conhecer é preservar. Aprofundar essa integração homem- fauna aprofunda o conhecimento. 

"É mais fácil mudar as crianças. Ele passa a entender que leão e elefante não são naturais do Brasil. E que aqui a gente possui é onça". Os felinos são uma atração a parte no Zoo. As pessoas que visitam o local ficam encantadas com os exemplares de onça pintanda e pantera, que dificilmente são vistos de perto no meio do mato. 

Conforme o tratador Souza, os animais que moram no Zoo não estão lá para exposição. Contudo, os bichos vivem no local por não conseguirem adaptação à selva ou por estarem ameaçados de extinção. "O objetivo do Zoológico é reintegrar os bichos à natureza", disse Souza. Mas em muitos casos não é possível. 

A maioria dos animais chega ao Zoo machucado, deprimido e estressado. Ele lembra de uma anta, que era criada como animal doméstico em uma fazenda em uma cidade no interior de Mato Grosso. "O bicho não consegue mais caçar. E quando vê alguém, corre logo para pedir comida", comentou.

Abrigados em ambientes que reproduzem seu habitat natural, muitos animais que vivem no Zoo têm se reproduzido em cativeiro, entre eles o gavião real (Harpya harpyja), ariranha (Pteronuura brasiliensis), anta (Tapirus terrestris), urubu rei ( Sarchoramphus papa), macaco-aranha (Ateles panicus), bugio (Alouata caraya), ema (Rhea americana) e mutum (Crax fasciolata).

O horário de funcionamento do Zôo UFMT é de terça a domingo das 07h30 às 17h30.

FESTA DO PEÃO DE RODEIO DE CURVELÂNDIA

23/10/2011 02:25

Curvelândia está em festa, rodeio de 20/10/2011 á 23/10/2011....

FOI UM SUCESSO!!

show nacional com Ricco &Léo

I SEMINÁRIO INOVAÇÕES EM POLÍTICAS: DESAFIOS E AVANÇOS DA REGIÃO SUDOESTE DO ESTADO DE MATO GROSSO

22/10/2011 09:37

O GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO JUNTAMNETE COM SEUS PARCEIROS : UNEMAT,SEDTUR,CIDESA,SEBRAE,CONSÓRCIO NASCENTES DO PANTANAL,SABOR E ARTE E CLARO O GOVERNO FEDERAL,ESTARÃO REALIZANDO O SEMINÁRIO ACIMA DESCRITO TENDO COM FOCO : FORTALECIMENTO DAS POLÍTICAS DE TURISMO PARA A REGIÃO SUDOESTE DO ESTADO DE MATO GROSSO, DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO COM FOCO NA INTEGRAÇÃO REGIONAL E GESTÃO DEMOCRÁTICA E PARTICIPATIVA.

COM OS PALESTRANTES:

Sra. Tania Zapatta  - Ministério do Turismo.

Sra. Teté Bezerra - Secretaria do Estado de Desenvolvimento do Turismo.

Sra. Rosangela C. Rosa Lazarin - Comitê Gestor de Turismo Município Indutor Cáceres.

    DATA: 28/10/2011

Local: Centro de Conveções do Parque de Exposição Drº. José Rodrigues Fontes

Av. Santos Dumont, s/nº. - Bairro: DNER - Fone: (65)3223-2111 - Cáceres - MT

Horário: 08:30 ás 17:00hs

                                                                                                 Inscrições gratúitas!

Vagas Limitadas!

...INSCRIÇÕES NA PREFEITURA DE SUA CIDADE ATÉ 26/10/2011...